sexta-feira, 29 de abril de 2011

Funcionários Homossexuais do Vaticano removidos depois de revelações de rede de prostituição

Como acontece com frequência, são quase sempre os mesmos a dar mau nome a organizações Cristãs. O Deus da Bíblia condena a sodomia e a fornicação, mas quando pessoas que pensam que são Cristãs são apanhadas nesse vício, a grande média esquerdista trata de associar o Cristianismo com tais pecados, como se a Igreja Católica estivesse de acordo.

A infiltração da Igreja Católica por parte de homossexuais é algo que se deve analisar com mais pormenor. Será isto algo que faça parte de uma acção organizada?

Hilary White
ROMA, Itália, 8 de março de 2010 (Notícias Pró-Família) — Dois funcionários do Vaticano foram removidos depois de revelações de que eles estavam envolvidos numa rede de prostituição homossexual.
Angelo Balducci, um Papal Gentiluomini (“chefe de cerimônia” que ajuda a saudar os dignitários), e Thomas Chinedu Ehiem, um nigeriano de 29 anos que era corista profissional no Coro Giulia, que canta na Basílica de São Pedro, estavam trabalhando juntos para fornecer ao sr. Balducci prostitutos homossexuais.
A descoberta foi feita por escutas telefônicas da polícia italiana durante uma investigação sobre o envolvimento de Balducci em corrupção política por causa de contratos de obras públicas. Essa corrupção foi noticiada no jornal italiano La Repubblica na quinta-feira. O programa Panorama da BBC citou Ehiem dizendo: “Ele [Balducci] me perguntava se eu podia conseguir outros homens para ele. Ele me disse que era casado e que eu tinha de fazer tudo com muita discrição”.
“Ele pedia e eu fazia. Ele costumava me dar 50 ou 100 euros, nunca mais do que 1.000 ou 1.500 euros por ano”, disse Ehiem.
O jornal Guardian obteve cópias escritas das conversas entre Ehiem e Balducci que revelam que pelo menos um dos prostitutos homossexuais era um seminarista, além de um ex-modelo masculino e jogador de futebol americano. As cópias escritas revelam que durante um período de cinco ou seis meses em 2008, Ehiem conseguiu para Balducci pelo menos 10 contatos com homens, coletados do site “Pianeta Escort” (Planeta Acompanhante).
O papel do Papal Gentiluomini é em grande parte cerimonial e a principal ocupação de Balducci é como engenheiro e membro da diretoria do Ministério de Obras Públicas da Itália.
A polícia italiana, investigando em favor de promotores de Florença, declarou: “A fim de organizar encontros casuais de natureza sexual, ele fazia uso da intermediação de dois indivíduos que podem formar parte de uma rede organizada, ativa especialmente em [Roma], de exploradores ou pelo menos facilitadores de prostituição de homens”.
Ehiem foi despedido do Coro Giulia e Balducci, que também trabalha como consultor sênior da Congregação para a Evangelização dos Povos do Vaticano, está preso.
Thomas Williams, padre americano e frequente comentarista nos meios de comunicação, disse para o noticiário da TV CBS: “Estamos apenas arranhando a superfície aqui. Não há a menor dúvida de que mais coisas virão”.
“Só estamos sabendo desses dois homens conectados ao Vaticano de alguma forma, mas obviamente, estamos falando de uma rede, e uma rede sem dúvida significa que há mais pessoas envolvidas”.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/mar/10030801.html

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Novas infecções do HIV quase duplicaram nos últimos 10 anos

Inglaterra: O número das novas infecções do HIV atingiram quase o dobro durante os últimos 10 anos, segundo dados da "Health Protection Agency" (HPA). Os peritos avisam que os números estão a aumentar "especialmente entre homens que tem relações sexuais com outros homens" (HSH).

No total foram diagnosticadas 1,950 novas infecções do HIV em 2001 e 3,780 em 2010. O número de infecções entre HSH aumentou 70% - de 1,810 para 3,080.

Há aproximadamente 30,800 HSH a viver com o HIV no Reino Unido (RU) e estima-se que haja cerca de 9,000 que ainda não sabem estarem contaminados.

O peritos médicos afirmam que o sexo anal, devido a natureza do acto, é uma das actividades sexuais mais arriscadas que existe. Os peritos em saúde sexual Dr John Dean e Dr David Delvin avisaram que esta práctica (o uso do ânus como fonte de prazer) acarreta riscos maiores de disseminação de doenças sexualmente transmissíveis (DST) que qualquer outra actividade sexual.

Claro que para socialistas como o José "Vai-te Embora e Não Voltes" Sócrates, e para o Francisco "Crianças de 16 anos deveriam votar" Loiçã e para o PT brasileiro, o que Medicina diz sobre o sexo anal não interessa. O que interessa é avançar com estratégias como o "Brasil Sem Homofobia" ou coisas como esta como forma de destruir a civilização Judaico-Cristã.

A natureza pouco saudável da homossexualidade em nenhuma outra área é feita manifesta de forma mais conclusiva que na recusa dos bancos de sangue em aceitar sangue doado por HSH. Os Serviços de Transfusões de Sangue e de Transplantação de Tecidos em Inglaterra não aceitam donativos de sangue provenientes de homens que tenham relações sexuais com outros homens, independentemente deles usarem preservativos ou não. Esta política não só é baseada na avaliação imparcial das evidências disponíveis como também é feita para garantir um reservatório de sangue seguro e livre de contaminação.

Comentado os dados mencionados em cima, o Dr Paul Cosford, director executivo da Health Protection Services na HPA, disse:

Infelizmente, apesar de um pequeno decréscimo nos casos durante os últimos anos no Reino Unido, novas contaminações estão em sentido crescente, especialmente entre os homens que tem relações sexuais com outros homens. . . . Isto tanto é o resultado de novos casos virem à tona para serem diagnosticados, como também o elevado número de contaminações em curso especialmente entre os homens.
Em Setembro último um estudo mostrou que as taxas de contaminação em França eram 200 vezes mais elevadas entre os homens homossexuais do que entre homens heterossexuais.

Cientistas do Instituto Nacional Francês para a Monitorização Saúde Pública verificaram que cerca de metade dos 7,000 novos infectados com o HIV em 2008 eram homens homossexuais. Stephane le Vu, que liderou a pesquisa, disse que a transmissão do HIV "parece estar fora de controle" entre os HSH.

Também em Setembro passado uma pesquisa distinta revelou que os HSH estavam a "abastecer" as infecções na Europa. Pesquisadores belgas examinaram 500 pacientes que haviam sido recentemente diagnosticados com o HIV e descobriram que a maioria das infecções era entre homens jovens e caucasianos que tinham sexo com outros homens.

A pesquisa levada a cabo por cientistas da Universidade em Ghent revelou também que estes homens eram também mais susceptíveis de haver contraído outras infecções sexualmente transmissíveis como a sífilis.

Contaminados, Promíscuos e Perigosos.

Os resultados do estudo belga recebeu o apoio do Terrence Higgins Trust. Nick Partridge, chefe executivo do Trust, disse na altura
Os homens homossexuais são o grupo mais em risco de infecção no Reino Unido. . . . Nós sabemos também que mais de um quarto das pessoas com HIV no Reino Unido ainda está sem diagnóstico e eles são mais susceptíveis de transmitir o virus do que aqueles que sabem estarem contaminados.

Apesar da montanha de evidências que claramente aponta para a natureza anormal do comportamento homossexual, ainda há pessoas que querem usar o aparelho do Estado para avançar com a agenda de pessoas que acreditam que desejos sexuais são base suficiente para se criarem "direitos humanos".

Reparem também que as mesmas pessoas que entram pelas escolas adentro com o intuito de "promover a diversidade" nunca nos falam de coisas incómodas, como por exemplo, o facto dos bancos de sangue de países civilizados rejeitarem de todo qualquer doação sanguínea proveniente de homossexuais activos.

Se homens que tem sexo com outros homens estão a executar uma práctica tão normal como aquele que os homens levam a cabo com as mulheres, como é que se explica que os bancos de sangue descriminem o sangue dos homens homossexuais activos? Serão os bancos de sangue organizações "fanáticas religiosas" cheias de "homofóbicos"? Ou é apenas a Medicina a não querer tomar parte da "nova sexualidade"?

terça-feira, 26 de abril de 2011

Órgão sexual, uma construção social burguesa e reaccionária.

Gayzismo na Austrália: 23 "géneros" diferentes

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Os filmes da Disney podem conter temas homossexuais

Um animador veterano sugeriu que, se se arranjar a história certa, a corporação Disney poderá considerar fazer um filme onde o tema seja uma "família" homossexual. Andreas Deja, que é homossexual (obviamente) e que trabalhou nas produções "Beauty and the Beast", "Aladdin" e "The Lion King", declarou que a Disney é "uma companhia muito amiga dos homossexuais".

A Disney World e a Disneyland são palco das paradas gays anuais e no ano passado o estúdio nomeou o primeiro chefe de estúdio abertamente homossexual, Rich Ross.

De acordo com um site australiano, Deja disse:

Será que um dia haverá uma família com dois pais ou duas mães? Só o tempo dirá. . . . Acho que se eles [Disney] encontrarem a história certa com esse tipo de conceito, eles assim o farão. . . . Tem que ser o tipo certo de história e antes de tudo, é preciso encontrá-la.
Deja, seguindo a norma homossexual de equivaler situações nada análogas, não só fez referências a Cinderella, que fazia parte de uma família adoptada, e Aladino, que cresceu nas ruas, como também foi rápido a ressalvar que a Disney tem muitas figuras que provêem de famílias com um historial único. Deja esqueceu de dizer que ser filha adoptiva ou crescer nas ruas não equivale em nada ao vício da homossexualidade.
Nós vamos continuar com audiência familiar e basicamente continuar a fazer o que a Walt Disney queria fazer.
Não sei se o falecido Walt Disney haveria de querer ver as suas criações a serem usadas para um movimento político como a homossexualidade. Mas se quisesse, isso não seria nada de novo. Infelizmente é normal os órgãos de informação avançarem com a agenda sodomita.

No princípio deste ano o produtor duma série popular (Coronation Street) afirmou que ele usa o programa como plataforma para avançar com a agenda homossexual. Phil Collinson disse que a TV é uma excelente plataforma. O sr disse ainda:

O que é transmitido à 2f, as pessoas comentam nos pubs, clubes e nos empregos no dia seguinte. . . . É possível fazer-se uma diferença na forma como as pessoas pensam e este programa sempre teve uma sensibilidade homossexual.
O grupo homossexual Stonewall já alegou no passado ter uma forte influência nas novelas da TV ao sugerir temas simpatéticos aos seus pontos.

(Fonte)


Esta atitude de se usar a exposição televisiva para se avançar com a agenda gay pode explicar a desproporcional presença de homossexuais mas séries americanas.

Agora ficamos a saber que isso é propositado e premeditado uma vez que os produtores usam a sua visibilidade para avançar com esta e outras ideologias.

domingo, 24 de abril de 2011

Transgénero maltrata filhos por estes se recusarem chamá-lo de "mãe"

Aparentemente a Coreia do Sul está um bocado atrasada na marcha até à utopia progressista:

Um pai transgénero com 4 filhos foi sentenciado a 2 anos de prisão por violentar os seus filhos por estes se recusarem a tratá-lo por "mãe" . . . O homem de 31 anos, mais tarde identificado como Oh, foi acusado de deixar os seus filhos passar fome e usar violência física contra eles. Um dos filhos é o resultado do relacionamento com uma antiga namorada, e os outros 3 são fruto do relacionamento com a segunda namorada.

Os esquerdistas ainda não possuem o controle total dos tribunais sul-coreanos, uma vez que o Juiz Presidente afirmou:

Embora os réus aleguem que a correcção física foi feita por motivos educacionais e legítimos, a sua conduta não pode ser vista como forma de orientação paterna ou instrução educacional, dados os números, os meios e as razões para a sua violência.

Oh, que tem tomado injecções de hormonas femininos uma vez por semana, levava uma vida normal durante as manhãs, mas agia como uma "mulher" durante a noite como forma de trabalhar no bar transgénico local, segundo documentos legais. Durante o julgamento, ele demonstrou um forte desejo de receber cirurgia de reajuste sexual de modo a tornar-se numa "mulher verdadeira".

As probabilidades do sr Oh se tornar numa "mulher verdadeira" são similares às probabilidades dele se tornar num coiote verdadeiro. Mesmo assim, a história termina com esta nota:

Embora operações de mudança de sexo sejam notícias do passado desde os EUA até à Tailândia, elas ainda são uma novidade na Coreia do Sul, onde as ideias confucionistas de piedade filial e hierarquia dominada pelo homem são fortes.

Vocês têm que se "modernizar", ó coreanos. O sr Oh não queria que os seus filhos crescessem com algum tipo de preconceito contra os esquisitos.

eek a pervert
Calma lá. Não tenhas uma mente tacanha, está bem?

sábado, 23 de abril de 2011

Tribunal americano determina que as escolas não podem censurar críticas à homossexualidade

O lobby sodomita avançou tanto que agora é preciso que lembrar às pessoas que criticar comportamentos é perfeitamente legal.

O Tribunal de Apelo do 7º Circuito emitiu uma decisão que pode ter implicações mais abrangentes na liberdade de expressão e na questão em torno do "casamento" homossexual nos Estados Unidos.

Uma escola que permita a propagação dos direitos dos estudantes homossexuais não pode ser permitida a amordaçar o criticismo à homossexualidade.
O caso remonta à "Indian Prairie School District", onde estudantes foram proibidos de expressar a sua visão religiosa sobre o comportamento homossexual com as suas t-shirts. O tribunal rejeitou o argumento dos oficiais da escola que alegaram que a Primeira Emenda pode ser posta de parte, e censurar t-shirts que digam “Be Happy, Not Gay” ("Sê feliz e não homossexual") como forma de impedir que alguns estudantes tenham os seus sentimentos feridos.

O tribunal acrescentou:

A escola alegou (e ainda alega) que banir ‘Be Happy, Not Gay’ era apenas uma forma de proteger os "direitos" dos estudantes visados com a mensagem da t-shirt. Mas as pessoas na nossa sociedade não tem o direito legal de prevenir o criticismo às suas crenças ou ao seu estilo de vida.
A Alliance Defense Fund (ADF), que defendeu o caso dos estudantes cristãos, afirmou que:
Os estudantes cristaos não podem ser descriminados por expressarem as suas crenças...O 7º Circuito, mais uma vez, correctamente reconheceu que a Primeira Emenda protege os direitos dos estudantes..... Num ambiente que abertamente permite o discurso que promove o comportamento homossexual, a escola simplesmente não pode censuar a visão contrária.
Em Abril de 2006, Heidi Zamecnik, estudante na "Neuqua Valley High School" (Naperville) usou uma t-shirt com a mensagem "Be Happy, Not Gay." No dia anterior a escola tinha permitido que estudantes usassem uma t-shirts mostrando apoio ao comportamento homossexual como parte do "Dia do Silêncio", promovido pela "Gay, Lesbian, Straight Education Network".

Embora a t-shirt de Zamecnik não tenha causado qualquer tipo de distúrbio, o reitor da escola exigiu que a estudante retirasse a t-shirt ou fosse mandada para casa para o resto do dia. Após conversa telefónica com a mãe da estudante, todos concordaram em mudar a t-shirt para que esta mostrasse "Be Happy, Be Straight." ("Sê Feliz, Sê Heterossexual"), mas o reitor não cumpriu a sua parte do acordo, e em vez disso fez com que uma conselheira riscasse as palavras "Not Gay" da t-shirt de Zamecnik de modo a que esta só mostrasse "Be Happy."

Alex Nuxoll, outro estudante da "Neuqua Valley High School", disse que tencionava expressar a sua visão sobre o comportamento homossexual durante o ano seguinte, incluindo no dia seguinte ao "Dia do Silêncio". No entanto o 7º Circuito emitiu uma decisão em Abril de 2008 que resultou na injunção preliminar prevenindo os oficiais da escola de censurarem a mensagem de Nuxoll enquanto o caso, Zamecnik v. Indian Prairie School District #204, avançava nos tribunais.

Conclusão:

Como é normal no lobby homossexual, "liberdade" para eles significa "liberdade para nós mas não para quem se opõe à nossa mensagem". Não cabe na cabeça de alguém minimamente sensível que se tente restringir o direito à expressão contra um comportamento como modo de "proteger as sensibilidades".

Se vamos por esse caminho, que tal proteger as "sensibilidades" dos cristãos e impedir judicialmente que se ataque a Bíblia?

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Sodomita inglês propõe a proscrição da "religião"

Reginald Kenneth Dwight, mais conhecido por Elton John, acha que seria boa ideia banir as "religiões". (Este ódio às "religiões" é bastante comum entre os activistas sodomitas.)

Reginald Dwigth defende que gostaria de vêr todas as "religiões organizadas" banidas e acusou-as de "tentar atrair o ódio contra os homossexuais".

Interessante. Ele é que defende a ilegalização da "religião organizada" (seja lá o que isso fôr) mas no entanto, acusa a "religião organizada" de concentrar ódio contra as pessoas com o mesmo vício que ele.

Segundo o Reginald, a "religião organizada" é deficiente no que toca à compaixão e por causa disso torna as pessoas em "lemingues cheios de ódio".

Mas o músico disse que ele "adora" a ideia dos ensinamentos do Senhor Jesus e as bonitas histórias que ouviu na escola Dominical. Pergunto-me se ele chegou a ler o capítulo 19 do Primeiro Livro da Bíblia:

Então o Senhor fez chover enxofre e fogo do Senhor, desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra. E derribou aquelas cidades, e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas cidades, e o que nascia da terra.

O sr Kenneth Dwight acrescentou ainda que conhecia muitos sodomitas como ele que adoravam a sua religião. Ele não disse qual era a "religião", infelizmente. Além disso, nem me atrevo a perguntar onde é que ele conheceu esses "religiosos" sodomitas.

Os seus comentários foram feitos numa especial edição sodomita do "Observer Music Monthly Magazine", onde ele foi entrevistado pela Jake Shears (Scissor Sisters).

Acho que a religião sempre tentou direccionar ódio contra os homossexuais. . . . A religião promove o ódio e o ressentimento contra os gays.
De acordo com o compositor-cantor, a solução seria "banir a religião por completo, embora haja algumas coisas boas nela". O sodomita acrescentou:
A realidade é que a religião organizada não funciona. Ela transforma pessoas em lemingues odiosos e não é verdadeiramente compassiva."
Segundo o eminente historiador Reginald Kenneth Dwight, os problemas que os sodomitas experimentaram nas nações do bloco soviético, tais como a Polónia, a Lituânia e Rússia, foram causados por movimentos anti-gay que apoiavam a Igreja. Ele não diz quais foram os "problemas" que os dependentes do mesmo vício que ele "suportaram".

Repare-se também que ele coloca toda a "religião organizada" dentro da classificação "Cristianismo". Segundo ele, os problemas dos sodomitas foram causados por pessoas que suportam a Igreja. A sua solução é banir a "religião organizada" ( = Cristianismo).

O Reginald apelou aos líderes das religiões maioritárias que se reunissem para "discutir" os destinos do mundo. O músico acredita que, tal como as coisas estão, há um "desenvolvimento que nos pode levar à Terceira Guerra Mundial".

Eu disse o mesmo pouco depois do 11 de Setembro mas as pessoas pensaram que eu estava a ficar maluco. . . . Tem tudo a ver com o diálogo - é a única forma.

Coloquem os membros de todas as religiões e digam: "Oiçam, isto não pode continuar assim. Porque é que há tanto ódio?" Somos todos o povo de Deus; temos que nos dar bem e os líderes religiosos tem que mostrar o caminho. Se eles não o fizerem, quem o fará?

Eles não o farão e portanto terão que ser os músicos ou outros a lidar com a situação.

Redinald disse ainda que continuaria a lutar pelos "direitos" dos sodomitas. Não sei bem que "direitos" são esses, mas provavelmente deve ser o "direito" de ser o único grupo social cujo comportamento não pode ser de forma alguma criticado.
Vou continuar a lutar por esses direitos, quer seja silenciosamente por trás do palco ou mesmo vocalmente, mesmo que seja preso.
Sim, um homossexual a requisitar "direitos" para o seu vício tem grandes probabilidades de ser "preso" em Inglaterra.

Como acontece com frequência, a manobra do Reginald é uma forma de preparar o caminho para a censura de todos aqueles que se opõem ao seu vício sexual. O Reginald não quer que se resolvam os problemas do mundo; ele quer que se resolva o problema que o afecta de modo pessoal: a liberdade que as pessoas tem de criticar qualquer conduta, seja ela qual fôr.

Entretanto, enquanto os "líderes religiosos" não se reúnem para "salvar" o mundo, o Reginald vai tentando mostrar cenas de sexo com menores em séries de televisão:

[O Elton John] sondou [o criador de Glee] Ryan [Murphy] àcerca de alguns enredos que ele poderia tomar parte. Ele disse que uma das primeiras coisas que ele [Elton] disse foi:
O que eu gostaria era de ser teu amante mas acabar na cama com o Chris.
Claro que no programa Chris tem 16 anos, portanto isso seria um isco para ir parar à cadeia . . . . . Mas mesmo assim espero que ele faça parte do programa.
Dentro do contexto da série "Glee", os pensamentos homopedófilos de Elton John são ainda mais doentios uma vez que, na série, Kurt (o papel que Chris Colfer desempenha) é uma criança inocente, ingénua e bastante doce que não faz ideia nenhuma do que é o sexo, muito menos o homossexo.

Este é o homem que quer ilegalizar a "religião organizada".


elton john
Elton John 25 kilos mais novo.

Evangelho segundo o Twitter

terça-feira, 19 de abril de 2011

Previsivelmente, as DST aumentam entre os sodomitas portugueses

O Diário de Notícias informa-nos que:
O número de novos casos de infecção VIH está a aumentar entre os homens portugueses, colocando Portugal em terceiro lugar a nível europeu. Ontem foi inaugurado em Lisboa um espaço que realiza testes gratuitos de despiste rápido.
Como sempre, os esquerdistas lidam com os sintomas e não com a doença. Ninguém parou para pesquisar sobre os motivos que levam a que os sodomitas tenham uma desproporcional presença nas listas de homens com os vírus da SIDA.
Perto do Príncipe Real, a loja do costureiro José Carlos, que faleceu vítima de VIH/SIDA, transformou-se no Check Point Lx, um espaço onde se realizam testes rápidos, anónimos e gratuitos de HIV a homens que têm sexo com homens (HSH).
Um grupo de risco.
Ali, os utentes podem ter aconselhamento psicológico e ser encaminhados para o Serviço Nacional de Saúde.
Podem ter "acompanhamento psicológico" que esteja de acordo com o que os esquerdistas querem. Aconselhamento psicológico por parte de profissionais com taxas de sucesso em ajudar pessoas com atracção homossexual indesejada não são bem vindos.
Quem os recebe não discrimina quem tem opções sexuais diferentes da maioria ou quem está doente, porque quem atende também é homossexual ou está infectado.
Estas palavras são uma forma indirecta de dizer que quem é contra a sodomia está a "descriminar".
“Este é um espaço da responsabilidade de uma organização não governamental, envolvendo pessoas que, ou são portadoras de VIH ou são homens que fazem sexo com homens, ou seja, há um acompanhamento feito entre pares com apoio de profissionais de saúde.
Mas se é um "espaço de responsabilidade", não deveria tentar fazer ver aos HSH que a sodomia é uma práctica sexual auto-destrutiva, e que o estilo de vida homossexual não é saudável? Aparentemente a definição de "responsabilidade" varia.
Este é um passo de gigante porque a sociedade foi capaz de se organizar e ir buscar os apoios que necessitava para dar uma resposta mais sólida”, saudou a ministra da saúde, Ana Jorge, que presidiu à inauguração do Check Point Lx.
Mas, tal como foi dito em cima, estes pontos de análise, embora bem vindos no sentido do sodomita ficar a saber se está ou não contaminado, é lidar com sintomas. A verdadeira ajuda seria a sociedade fazer ver aos sodomitas que o seu estilo de vida não é saudável, e que é possível abandoná-la. E, não, não é "descriminação" querer ajudar pessoas que queiram sair da vida homossexual, ou informar as consequências de tal vida. Pelo contrário, é uma enorme demonstração de preocupação avisar os outros quando estes estão a prosseguir num caminho que os está a destruir física e emocionalmente, e que vai, por fim, conduzi-los a separação eterna (inferno).
O Check Point Lx pretende ser uma ajuda para tentar inverter uma tendência que se começou a revelar com o virar do século: “Em 2000, começou a aumentar o número de casos de infecção entre HSH”, resumiu Luís Mendão, presidente do Grupo Português de Ativistas sobre Tratamentos de VIH/Sida (GAT), organismo responsável pelo gabinete hoje inaugurado.
E porque é que isso aconteceu?
“Neste momento, Portugal é o terceiro país dos 27 da Europa com o maior número de novos casos diagnosticados entre os HSH”, lembrou Luís Mendão em declarações à Lusa, acrescentando que este aumento começou a notar-se mais a partir de 2005. Os dados mais recentes dizem respeito a 2008, ano em que se registaram 365 novos casos em Portugal.

“À nossa frente só temos a Inglaterra e a Holanda”, lamentou o presidente do GAT, sublinhando que “se a infecção for diagnosticada cedo e a pessoa se tratar há uma enorme diminuição das transmissões do VIH”.

No entanto, a maioria não realiza testes de despistagem, segundo um estudo apresentado pela médica Maria José Campos.

E é por isso que o sangue de homossexuais activos (ou de qualquer outro grupo de risco, como as prostitutas ou os tóxico-dependentes) nunca deve ser aceite pelos bancos de sangue.
Um inquérito online realizado no ano passado a 180 mil homens em toda a Europa, dos quais cinco mil viviam em Portugal, revelou que apenas 45,9 por cento dos portugueses tinha realizado um teste VIH no último ano. "São números preocupantes", desabafou em declarações à Lusa Maria José Campos.

O coordenador Nacional VIH-SIDA, Henrique Barros, destacou o papel do centro Check Point Lx, lembrando que esta população dos HSH “viveu sempre muito escondida e oculta em Portugal”.

O facto dos sodomitas ter vivido vidas "escondidas" e "ocultas" não explica a sua desproporcional presença entre os contagiados pelo vírus. Aliás, esta informação é irrelevante.
“Estamos a trazê-la à luz do dia, combatendo discriminações e estigmas e garantindo que tem acesso em tempo à prevenção e ao diagnóstico para evitar que haja um aumento incontrolável da infecção”, defendeu em declarações à Lusa, aplaudindo o trabalho que agora começa a ser realizado pelas equipas do Chek Point Lx.
Qual "descriminação"? Qual "estigma"?

Se o Henrique Barros está determinado em "evitar que haja um aumento incontrolável da infecção" talvez não seria má ideia fazer ver aos sodomitas que a promiscuidade inerente à vida de HSH é o grande motivo que leva a qual eles se encontrem a fazer testes. Afinal, que outro grupo social tem que ter "centros de despiste" no que toca ao vírus? Não são os grupos com vidas sexuais pouco saudáveis, ou pessoas que usem drogas?

Em ambos os casos, o melhor conselho é dizer-lhes para abandonar essa vida, mas no que toca à homossexualidade, por alguma razão já é "descriminação" dizer o óbvio: a sodomia não é saudável.

Mas a Medicina não se deixa controlar por movimentos revolucionários.


Por mais centros que sejam abertos em Lisboa, e por mais bonitas palavras sejam ditas por representantes estatais, a Medicina claramente diz que o estilo de vida homossexual não é saudável.

(Obrigado ao Firehead pela imagem no início do post e ao Hugo Monteiro Dantas pela notícia)

Genocídio contra homossexuais?

Don Hank
Há alguma ameaça de que os gays nos países ocidentais logo sejam exterminados por bandos de homófobos perigosos?
Pergunta muito ridícula, né?
Não, os gays gozam privilégios especiais aqui no Ocidente. Em San Francisco eles têm liberdade de vagar pelados pelas ruas durante a parada do orgulho gay na Folsom Street, praticando reais atos sexuais em público sob a total vista de desafortunados espectadores, inclusive crianças, que tiveram o azar de topar com esse cenário. (Não vou dar os links das fotos dessa perversão, mas se você quiser confirmação, basta buscar no Google usando as palavras chaves: folsom street gay pride ou coisas semelhantes).
Entretanto, muitos governos ocidentais estão aflitos com a “condição horrível” dos gays, ao mesmo tempo em que cristãos no mundo inteiro estão perdendo o direito de dar testemunho sobre a cura e o poder redentor de Deus por meio de Jesus Cristo. A agenda desses tiranos que nos governam mediante furtivas manobras fabianas sem nosso consentimento é evidente para todos os que têm pelo menos metade de um cérebro: Eles estão ansiosos para acabar com a cultura cristã tradicional — aliás, qualquer cultura minimamente decente que inclua o casamento tradicional, a lei e a ordem.
Enquanto isso, os novos governos “democráticos” no Oriente Médio massacram suas populações cristãs, enquanto gozam apoio total de quase toda a classe dominante — essa oligarquia que maneja um poder cada vez mais ditatorial através dos grandes meios de comunicação, universidades, sistema “educacional” e a vasta maioria das classes profissionais, e nossa própria classe dominante finge se importar profundamente com a perseguição aos gays.
Logo depois que o governo americano invadiu o Iraque, as igrejas cristãs assírias começaram a ser queimadas e suas congregações perseguidas, assassinadas e dispersas. Muitos agora vivem na Suécia. O governo americano não disse nada, fingindo que o único inimigo era o “terrorismo”, não o fanatismo islâmico. Os cristãos coptas no Egito estão neste momento sofrendo destino semelhante, graças em grande parte à colaboração do Ocidente. As forças armadas do novo governo “democrático” egípcio apoiado por Obama e pelos líderes da Europa atacaram um monastério copta logo depois que Mubarak foi derrubado da presidência, baleando e matando vários monges. A Irmandade Muçulmana, apoiada por Barack Obama, está por trás da matança e perseguição. A imprensa ocidental está de boca totalmente fechada.
Mas os meios de comunicação e a oligarquia nos dizem que são os gays que estão sendo perseguidos e estão em necessidade extrema de nossa proteção. É mentira. Os gays não estão sofrendo nem mesmo a fração de um por cento da perseguição que os cristãos estão sofrendo no mundo inteiro. No entanto, eles são a nova classe protegida, e governos como o do Brasil estão correndo para ajudá-los como se eles tivessem sido vítimas de um tsunami, terremoto e desastre nuclear.
Na maioria dos países, ninguém ousa mencionar que o estilo de vida deles provoca doenças como a AIDS ou outras DSTs. Ninguém pode nem mesmo dar um conselho e assistência para ex-gays ou pessoas com atrações indesejadas de mesmo sexo. Meu amigo brasileiro Julio Severo foi forçado a deixar sua pátria porque aconselhava os homens a vencer a homossexualidade e viver vidas seguras, saudáveis e morais.
Ele estava lhes oferecendo valiosa assistência.
Mas a liderança de extrema esquerda do Brasil, começando com o ex-presidente Lula e agora continuando com Dilma Rousseff (que é mais venenosamente anticristã e é uma ex-terrorista envolvida no assassinato de várias pessoas, inclusive um americano), diz que é ilegal ajudar os homossexuais a vencerem seu estilo de vida.
Qualquer pessoa que está nesse estilo de vida está praticamente enjaulada, por lei, pelo resto da vida.
Qualquer homem que deseja abandonar o sexo anal, por motivos de segurança, fé ou moralidade, ou quaisquer que sejam as razões, é aconselhado a deixar o Brasil.
Não há espaço para a decência no Brasil, que vem passando por um perfeito bombardeio de malignidade ultra-marxista e não tem como sair desse rumo. O resto do Ocidente está seguindo a mesma tendência.
E a maioria dos americanos (e europeus) não está atenta à tragédia moral que está se revelando no Brasil.
É hora de despertarmos e procurarmos conhecer as pessoas que vivem no mesmo hemisfério que nós. É hora de aprendermos uma nova palavra no vocabulário: Não.
Não conosco. Não com meu país.

Mais detalhes sobre Julio:

Julio Severo provocou um “terremoto” quando alertou as igrejas e a sociedade do Brasil sobre a agenda gay e sobre a reversibilidade do imoral estilo de vida gay.
Ele é o autor do livro “O Movimento Homossexual”, publicado em 1998 pela Editora Betânia. Seu livro foi o primeiro livro em português a desmascarar as intenções do movimento gay.
Em 2007, quando ele ajudou a conscientizar o público sobre o PLC 122, o projeto de lei “anti-homofobia”, os ativistas gays começaram a ameaçar a Editora Betânia, que abandonou o livro sob essa pressão. Os ativistas também entraram com ações contra Severo. Desde então, o MPF vem tentando amordaçá-lo e bloquear seus artigos.
Provavelmente, eles nada podem fazer contra ele agora, pois ele está longe do Brasil. Mesmo assim, a maior organização gay do Brasil, que recebeu apoio de Hillary Clinton para ter credenciamento oficial na ONU em 2010, está buscando achar sua localização. Essa mesma organização, a ABGLT, também entrou com ação contra ele.
Blog Julio Severo:

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Incentivo à aceitação da depravação sodomita

(Fonte)
Mais uma ideia aberrante, noticiada no

A associação que representa pais de filhos homossexuais (Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual (AMPLOS)) defende que as figuras públicas com peso em Portugal devem assumir a sua homossexualidade para "ajudar a sociedade a tornar natural esta orientação sexual".

Os vícios privados não se podem tornar pecados públicos. O vício praticado dentro de quatro paredes é mau, mas só os praticantes de tal vício terão de prestar contas do seu pecado. A nós, compete-nos repetir-lhes a Doutrina Moral da Santa Igreja e rezar pela sua conversão.

Escusado será dar escândalo em público, tentando enganar os mais ignorantes, defendendo que uma coisa IMORAL e ANTI-NATURAL (a prática de actos homossexuais) se trata de uma normal e natural orientação sexual. Já há exemplos claros e recentes de como a natureza se revolta e bem! E os atentados à ecologia são o menos...

A orientação sexual só existe num sentido: em direcção ao sexo oposto.

O que passa disso não é orientação sexual nenhuma, mas perversão sexual.


[Meu comentário]: Obviamente que a parte que diz "Liberdade" no nome desta organização é uma mentira. Eles não são a favor da liberdade em ser homossexual (que já existe) mas sim contra a liberdade de quem não considere o ânus um órgão sexual.

Segundo esta organização, a forma de destruir a natural aversão que as pessoas tem ao comportamento homossexual é tornar as figuras públicas homossexuais o mais visível possível.

Só que a visibilidade tem um preço. Perguntem a qualquer pessoa que se tornou famosa e ela confirmará. Se estes pais querem que os homossexuais se tornem ainda mais visíveis, eles tem que se mentalizar que com a visibilidade vem a possibilidade de ser alvo de mais críticas. Isto é certinho direitinho.

Mas, claro, isto esta associação de pais já não quer. O que eles querem é visibilidade e impunidade na promoção dum comportamento que a Medicina qualifica de auto-destrutivo (vêr aqui e aqui).

Percebe-se que como pais e mães de pessoas que sentem prazer com certas prácticas sexuais pouco saudáveis eles queiram proteger os seus filhos de críticas, mas isso não vai ser conseguido tornado este tipo de gostos o mais visível possível e tentado colocá-lo livre de criticismo. Isto só vai ter os resultados opostos.

Além disso, duvido muito que a maioria dos homossexuais se sinta confortável com a noção de ver o seu gosto sexual "protegido pelo Estado".

sábado, 16 de abril de 2011

Pesquisa de Hábitos Sexuais dos Homossexuais (Gay Report)

(Fonte)

Em 1979, os pesquisadores homossexuais Karla Jay e Allen Young publicaram The Gay Report, um livro de mais de 800 páginas descrevendo os hábitos e atitudes sexuais dos homossexuais.

O livro é baseado em 1,900 respostas de pesquisa sexual de homossexuais masculinos, 1,000 de homossexuais femininas, e 2,500 de questionários da revista Blueboy. (Blueboy era um jornal homossexual de Miami.)

O Gay Report é um livro obsceno, mas fornece uma precisa visão geral “dos próprios homossexuais” dos depravados estilos de vida que eles levam.

Nesse sumário de citações do The Gay Report, nós evitamos citar muitos dos comentários obscenos feitos pelos homossexuais a respeito de seus hábitos de sexo.

Hábitos Sexuais de Homossexuais Masculinos

Capítulo 13, “Variações Eróticas de Alguns Homens Gays”, listou estatísticas de centenas de homossexuais que responderam à pesquisa de Jay & Young sobre hábitos sexuais. Na página 555, os autores listam 13 diferentes actividades sexuais.

Homossexuais admitiram que “de certa forma frequentemente” engajaram-se nas seguintes actividades: sado-masoquismo, 6%, escravidão e disciplina, 4%, urina, 10%, humilhação, 3%, enemas, 1%.

Homossexuais masculinos admitiram muito mais frequentemente se engajar em atcos sexuais a três.—5%; 10% “de certa forma frequentemente” e 20%, “de certa forma não frequentemente. Homossexuais admitiram se engajar em orgias ou sexo grupal: 4% “muito frequentemente,” 6% “de certa forma frequentemente,” 16% “de certa forma não frequentemente.” (P. 587).

Promiscuidade: Homossexuais Masculinos que responderam à pesquisa de Jay & Young indicaram que eles são altamente promíscuos. No Capítulo 7, “Homens Gays: Alcançando Exteriormente, Olhando Interiormente,” Jay & Young publicaram estatísticas sobre quantos parceiros sexuais homossexuais têm em uma semana, um mês, um ano, e a vida toda.

As estatísticas sobre parceiros a vida toda revelaram que 15% tiveram de 1-10 parceiros; 17% tiveram de 11-25; 20% indicaram 26-50 parceiros; 6% tiveram 51-75; 7% tiveram 76-100; 8% tiveram 101-200; 4% tiveram 201-300; 6% tiveram 301-1,000; 17% tiveram milhares ou “muitos.” (pgs 248-249).

Um respondente dessa parte da pesquisa sexual registou:

“A promiscuidade é um conceito heterossexual que é usado para nos atacar…. Eu acho isso desumano, sexista e, no final das contas, danoso à psique. Se você fala em termos de ‘liberdade sexual’ e divide experiência sensual, pode ser uma coisa magnífica. Eu suponho que tudo dependa dos motivos.”
Monogamia: Homossexuais também têm uma diferente definição do que a monogamia significa em um relacionamento. No Capítulo 9, “Homens Gays: Pares, Solteiros, e a Questão Mulher Masculinizada/Fêmea,” homossexuais masculinos foram solicitados a descrever como eles vêem fidelidade, monogamia e inveja.

Eis aqui várias respostas:

  • “Monogamia é uma forma de insegurança expressada principalmente por agarrar à força alguém, e agarrar à força mais frequentemente conduz ao estrangulamento.”
  • “Nós éramos estritamente monógamos pelos primeiros três anos, mas incluí três outros amigos no ano passado.”
  • “Quando eu começo a ficar emocionalmente envolvido com alguém, eu descubro que não é uma boa ideia para mim ter sexo com outras pessoas, assim eu não me torno obcecado.”
  • “Monogamia significa ter um parceiro em um tempo, e o que os gays usualmente pensam é o caso de ter um amante e ter sexo com outros. Isso é mais apropriadamente rotulado de exclusividade ou não-exclusividade sexual.”
  • “Eu não poderia ser verdadeiro em um acordo monógamo com um outro gay masculino. Homossexualismo e promiscuidade andam de mãos dadas, em minha opinião.” (pgs 358-359)

Hábitos Sexuais de Homossexuais Femininos

No Capítulo 12, “Os Especializados Gostos de umas Poucas Lésbicas,” homossexuais femininas responderam que elas “muito frequentemente” engajavam-se nas seguintes actividades: sadomasoquismo, 0%; escravidão e disciplina, 1%; humilhação, 1%; fisting, 1%. Seis por cento admitiram ter sexo com animais—mas não frequentemente. (pgs. 512-521.)

Trinta e oito por cento das homossexuais femininas admitiram engajar-se em actos sexuais com três pessoas; 16% envolveram-se em orgias sexuais.

No Capítulo 8, “Relacionamentos Lésbicos e Interpretação de Papéis,” homossexuais femininas responderam a questões sobre promiscuidade e relacionamentos monógamos.

Promiscuidade: Homossexuais femininas tiveram os seguintes parceiros sexuais por toda a vida: 62% tiveram 1-10 parceiros sexuais; 24% tiveram 11-25; 11% tiveram 26-50; 1% tiveram 50-300; e 2% indicaram “centenas” por toda a vida. (pg. 324)

Monogamia: Eis aqui várias respostas à questão da monogamia:

  • "Eu tenho sexo fora do relacionamento, e nós falamos disso abertamente. Até aqui houve um efeito positivo."
  • “Eu tenho sexo com a mulher que eu moro e com outra amante.”
  • “Umas noites tudo bem para cada um de nós se nada melhor aparecer.”
  • “Nós temos sexo fora do nosso relacionamento. Nós nos sentimos enriquecidas com nosso sexo juntas e nossa própria sexualidade.” (pgs. 326-327)

Visões sobre o Assim-Chamado Casamento Gay.

No Capítulo 9, homossexuais expressam suas visões sobre o assim-chamado “casamento gay.” Eis algumas de suas respostas:

  • “Casamento é um fingimento. Significa para o público atrapalhar relacionamentos privados. Não legalizar casamento gay —declara fora da lei casamento heterossexual!”
  • “Casamento deveria ser reestruturado e abolido pelo estado.”
  • “Casamento deveria ser abolido.” (pgs. 363-364)

Hábitos Sexuais Permanecem Essencialmente os Mesmos Hoje

Embora esse livro tenha sido publicado em 1979, o fato é que homossexuais continuam a se engajar hoje nas mesmas actividades sexuais— mesmo que a AIDS continua a se difundir entre homossexuais.

O relato TVC, “Comportamento Homossexual Abastece a AIDS e epidemias de DST’s,” cita um relatório do CDC de Novembro de 2003, documentando o crescimento do HIV entre homossexuais em 29 estados em 2002. O relatório também cita Dr. John Diggs, que publicou “Os Riscos à Saúde do Sexo Gay” para o Corporate Resource Council.

Diggs registra que homossexuais tipicamente se engajam em sexo oral e anal, coroar (boca em contato com o ânus), fisting (inserção do punho e braço no interior do ânus), chuveiros dourados (urina), sadomasoquismo, e a inserção de tais objectos como garrafas, lanternas e até mesmo roedores no interior do reto.

Em acréscimo, muitos homossexuais estão se engajando em festas de “barebacking”, que são orgias de sexo incluindo vários indivíduos que estão infectados pelo HIV. Alguns homossexuais são “perseguidores de vírus,” que deliberadamente procuram ser infectados. A revista Rolling Stone (Janeiro de 2003) detalhou essa prática entre muitos homossexuais.

Homossexuais continuam a infectar uns aos outros e se engajar em comportamentos que podem matá-los.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Ricky Martin usa visibilidade para promover promiscuidade

Um cardeal Católico pede a Ricky Martin que pare de promover o estilo de "vida" homossexual durante a sua tournée que tem o nome de Musica Alma Sexo or “MAS”.

Durante uma entrevista à publicação espanhola Primera Hora, o Cardeal Luis Aponte Martinez, o arcebispo de San Juan, no Porto Rico, não só pediu ao Ricky Martin para promover valores que são partilhados por todos, como disse também que "fomentar a homossexualidade e a promiscuidade sexual entre os jovens é sem dúvida imoral, independentemente donde venha".

Ricky Martin, que se assumiu como sodomita recentemente (depois de anos a identificar-se como heterossexual), anunciou que o seu novo musical vai incluir "jogos sexuais" que, segundo afirma o próprio, "fazem parte do seu estilo de vida".

Que a promiscuidade é uma característica da homossexualidade é algo que nem é preciso procurar muito para confirmar. É impressionante que ainda haja pessoas que ainda se deixem levar pela conversa dos activistas sodomitas.

O Cardeal disse ainda:

Eu pessoalmente admiro o Ricky pelos dotes artísticos que o Senhor lhe deu, mas peço, por amor aos seus filhos, a quem eu acho que ele deseje tudo de bom, que tente dar exemplo para os nossos jovens dos enormes valores que todos partilhamos, com a excepção do sexo. . . . [A igreja Católica] não rejeita o homossexual mas sim as acções e as condutas que são contra a moralidade.
No bom espírito marxista cultural, o sodomita Ricky Martin rejeitou os pedidos do Cardeal e numa entrevista posterior disse:
Vamos fazer o espectáculo sem medo. Sim, os espectáculos irão ter o seu momento sensual e sexual, mas com classe, uma vez que muitas pessoas gostam de se divertir . . . . Não sou uma moeda de ouro que sempre é bem recebida pelo mundo. Eu estou focado no amor e na afeição que recebo noite após noite nestes espectáculos.

Que queda vertiginosa para um rapaz que chegou a ser rapaz de altar. Enquanto criança servia a Deus mas agora quer promover um estilo de vida que demonstram o quão firme é a sua devoção ao príncipe das trevas.

Que sejas muito "feliz" no que te resta da tua vida, Ricky, porque depois de morto, a tua eternidade não vai ser muito feliz.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Arábia Saudita: Polícia condenado a 2 anos por tentar abusar de rapaz

Um tribunal saudita sentenciou um policia a dois anos de prisão e 250 chicotadas por tentar abusar sexualmente de um rapaz em troca de o deixar sair da prisão.

O rapaz, que estava num centro de delinquência juvenil, fingiu aceitar a proposta do polícia em ter relações sexuais com ele em troca da liberdade.

Segundo jornais locais, o polícia levou o rapaz no carro policial até a um lugar deserto. Quando o polícia despiu-se, o rapaz iniciou o carro e fugiu, deixando o polícia em roupas interiores.

Mais tarde, depois de ter chegado a casa, o rapaz reportou o ocorrido ao seu pai.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Padaria corre risco de ser fechada por não pactuar com homossexualidade

Um sistema legal controlado pelos esquerdistas caracteriza-se não só pela coerção em não atacar estilos de vida politicamente correctos, como também em ter que se tomar parte na promoção dos mesmos:
O dono de uma loja de bolos de Indianapolis pode ser despejado da sua localização de muitos anos por recusar uma encomenda especial feita por um grupo homossexual universitário.

A padaria "Just Cookies" opera no mercado (propriedade da cidade) há mais de 20 anos. O presidente da comissão de directores que supervisiona o mercado declarou ao jornal Indianapolis Star que ele "não gostaria de perde-los" como arrendatários mas que isso pode muito bem acontecer uma vez que o dono, David Stockton, tomou uma decisão moral de não pactuar com a actividade homossexual.

Gerou-se uma controvérsia quando os donos da padaria alegaram objecções morais em relação à encomenda de bolos decorados com arco-íris. A encomenda é para o "National Coming Out Day" que se realiza para a semana e que vai ser festejado numa universidade próxima.

David Stockton disse pelo telefone que ele não se sentia confortável em suportar os valores homossexuais especialmente porque isso não seria um bom exemplo para as suas duas filhas.

Micah Clarke da Associação da Família Americana de Indiana diz que há indícios de que a cidade pode despejar Stockton citando a legislação local de "anti-descriminação".

Nenhuma das pessoas que já leu o livro de Orwell 1984 vai ficar surpreendida com o facto de legislação de "anti-descriminação" ser usada para descriminar contra grupos que os esquerdistas não aprovam, nomeadamente, aqueles que são guiados por princípios morais em vez de decretos politicamente correctos da classe dominante.

Conclusão:

O que fica desta história é como o fascismo homossexual vai ganhando força com a preciosa ajuda dos esquerdistas. Debaixo do novo "sistema moral" já não há liberdade para não se pactuar com o auto-destrutivo comportamento homossexual: somos obrigados a fazer parte de comportamentos nocivos mesmo que isso contradiga as nossas convicções morais, a Medicina, a Fisiologia , etc.

Que isto nos sirva de exemplo para uma coisa que podemos transportar para a nossa vida pessoal: o mal só progride numa direcção. Se nós damos um centímetro de espaço ao mal, ele vai querer 10 cm. Se dermos 10, ele vai querer 50. Se dermos 50, ele vai querer 100, e assim sucessivamente até sermos totalmente derrotados espiritualmente.

O lobby homossexual, sendo um grupo que promove um comportamento que contradiz o propósito da Criação, vai continuar a forçar o seu comportamento pelas nossas vidas adentro até não poder mais.

Portanto, todo e qualquer compromisso que nós façamos com esse lobby é uma derrota para nós. Nesta guerra do homossexualismo contra Deus não há meio termo: ou se é contra ou se é a favor. Deus não nos deu espaço para sermos "neutros" (Lucas 11:23).

rainbow_swastika.jpg

Foto tirada do blog Moonbattery.com

Cuidado com os bancos de sangue ingleses

Segundo informa o diário britânico The Telegraph, os homossexuais vão poder começar a doar sangue se assim o entenderem. Segundo a mesma fonte, a ministra da Saúde, Anne Milton, vai anunciar esta mudança de política em poucas semanas.

O governo britânico levantará a norma que impedia os homossexuais de doarem sangue por a considerar "discriminatória". Isto assume, obviamente, que toda a descriminação é má.

No entanto, haverá restrições: só podem doar sangue aqueles homossexuais que não tenham tido relações sexuais durante uma década. Aqueles homossexuais que são sexualmente activos continuarão a não poder dar sangue. Por enquanto.

Boa sorte em encontrar um homossexual britânico que não tenha tido relações sexuais com outro homem nos últimos dez anos.

As fontes do diário alegam que o período de 10 anos de espera evita que haja doações por parte de homossexuais que desconheçam serem portadores do HIV, uma vez que em dez anos há tempo suficiente para que o vírus se manifeste e seja detectado. Será?

Fonte


Na Medicina as coisas costumam ser bastante claras. Se um comportamento é benéfico, então quem pratica esse comportamento aumentará as suas hipóteses de ser saudável. Se um comportamento não é saudável, então mais cedo ou mais tarde as consequências desse comportamento se farão notar.

No que toca ao vício da homossexualidade, a Medicina deixa bem claro que esse comportamento não é saudável:

1. Estudo indica que 75% dos homossexuais sexualmente activos são portadores do Vírus do Papiloma Humano

2. A Medicina e a “normalidade” do comportamento homossexual

3. Desproporcional presença de homossexuais nas novas contaminações

4. Pandemia mundial de AIDS entre gays

5. Homossexualismo é mais perigoso que fumar

6. Um a cada cinco homens gays nos EUA é portador do HIV

7. SIDA fora do controle entre homossexuais

8. EUA: 48% dos casos de HIV são de sexo entre dois homens

9. Londres: 1 em cada 7 homossexuais está infectado com o HIV

Tendo isto em conta, porque é que os serviços médicos ingleses tentam agora abrir os bancos de sangue a homossexuais que tenham estado celibatários nos últimos 10 anos? (Aliás, como é que eles vão descobrir que alguém teve sexo durante os últimos 10 anos? Perguntando?)

A Medicina claramente mostra que o vício da homossexualidade é clinicamente auto-destrutivo. Porque é que o resto da sociedade tem agora que pagar pelos erros de Sodoma? Quanto tempo até que, no espírito de "não-descriminação", estas coisas sejam aceites pelos fracos líderes socialistas portugueses?

A motivação para este levantar de restrição é meramente política e ideológica. Os esquerdistas que controlam a Inglaterra provavelmente não se sentiam à vontade com a descriminação que a Medicina fazia ao sangue homossexual, e, como tal, resolveram colocar em risco toda uma população como forma de satisfazer o lobby sodomita.

Mais uma vez se vê que o argumento que muitos usam para a normalizar a homossexualidade ("não me afecta directamente") é falso. A normalização da anormalidade afecta toda a sociedade.


Homossexualismo: o que é?

Fonte

O homossexualismo é um tema muito abordado em nossos dias. Existem discussões sobre projectos de lei que tratam do assunto; quase todas as novelas e séries possuem algum personagem homossexual; a parada gay no Brasil é uma das maiores do mundo. Apesar disso, não podemos deixar de anunciar o que a Bíblia diz sobre isso. Repare bem em minhas palavras: “o que a Bíblia diz”. Não se trata de uma mera opinião pessoal, mas da opinião do próprio Deus.

Apesar de não usar a palavra homossexualismo, a Bíblia fala bastante sobre isso (Lv 18.22; 20.13; Jz 19.22,23; Rm 1.26,27; 1 Co 6.9,10; 1 Tm 1.9,10; Jd 7). Vejamos algumas verdades bíblicas sobre o tema.

1) O homossexualismo não foi criado por Deus.

Algumas pessoas afirmam que o homossexualismo foi “criado por Deus”. Acreditam que os homossexuais já nascem com desejos por pessoas do mesmo sexo, e isso significa que foram feitos por Deus desta forma. E se Deus os fez assim, não há como afirmar que o homossexualismo seja pecado, pois isso seria lutar contra a própria forma na qual foram criados.

Baseiam sua afirmação em Romanos 1.26,27:

  • 26-Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. 27-Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão.

Alegam que o homossexualismo pecaminoso é aquele que é praticado de forma contrária à própria natureza. Isso significa que se a “inclinação natural” de alguém é ser homossexual, praticar o homossexualismo não seria errado. O pecado seria se alguém não tiver esta inclinação e ainda assim praticar o ato.

Contudo, esta afirmação não se sustenta. “Abandonar as relações naturais” não significa ir contra seus impulsos sexuais, mas ir contra ao “padrão natural” criado por Deus.

2. Deus criou a relação heterossexual como padrão.

A “companheira idónea” criada para o homem foi a mulher, e não outro homem. Foi Deus quem instituiu o casamento, e ao criá-lo o fez entre um homem e uma mulher. Assim, Deus não criou ninguém com inclinação homossexual, pelo contrário, esta surgiu apenas após o pecado.

  • Génesis 2.24-Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.

O livro de Cantares também destaca o padrão divino. Este livro, que exalta a beleza da sexualidade praticada de acordo com a vontade de Deus, apresenta um relacionamento entre um homem e uma mulher, e não entre duas pessoas do mesmo sexo.

A própria fisiologia do corpo humano demonstra que o propósito de Deus para o sexo é o relacionamento heterossexual. É justamente este o sentido das palavras de Paulo em Romanos 1.26,27. Ao usar a expressão “relações sexuais naturais”, a palavra usada se refere a algo “produzido pela natureza”, feito em “conformidade com a natureza”. Assim, de acordo com o texto, quando homens ou mulheres deixam o relacionamento heterossexual para adotar o homossexualismo, estão agindo de forma contrária à natureza criada por Deus.

3. O homossexualismo é fruto da inclinação natural para o pecado.

Por que, então, muitos homossexuais parecem ter nascido assim? Será que foi Deus quem os fez desta forma? Precisamos lembrar que pessoas não nascem homossexuais, mas nascem pecadoras. O coração humano é extremamente marcado pelo pecado e engano (Jr 17.9; Rm 3.10-18,23), e isso pode se manifestar de diferentes formas, em diferentes pessoas, em atitudes contrárias ao padrão divino. E isso pode acontecer desde pequeno, dando a impressão de que a pessoa nasceu desta forma.

Todos aqueles que são pais sabem do que estou falando. Não é preciso ensinar uma criança a ser egoísta e desobediente. Elas já nascem com um coração pecador, que se manifesta logo primeiros momentos de sua vida. O homossexualismo, como pecado que é, também pode surgir desde muito cedo.

4. O homossexual é responsável por seu pecado.

Muitos insistem em afirmar que o homossexualismo é uma doença ou é uma herança genética. Isso significa que o indivíduo não tem responsabilidade alguma, pois não se trata de uma escolha pessoal. Contudo, a própria ciência não tem provas concretas a respeito disso. Além do mais, a Palavra de Deus diz o contrário. O homossexualismo é um pecado, e como tal, é de inteira responsabilidade daquele que o pratica. Se o indivíduo não se conscientizar de que é responsável por isso, não haverá verdadeiro arrependimento e perdão. Conseqüentemente, também não haverá transformação de vida.

5. O homossexualismo demonstra um problema no coração.

As Escrituras ensinam que o problema do pecado está no coração do ser humano:

  • Marcos 7.21-Pois do interior do coração dos homens vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais (palavra que abrange também o homossexualismo), os roubos, os homicídios, os adultérios, Ver: 22-as cobiças, as maldades, o engano, a devassidão, a inveja, a calúnia, a arrogância e a insensatez. Ver: 23-Todos esses males vêm de dentro e tornam o homem 'impuro'".

Se o homossexualismo vem de dentro, significa que as circunstâncias externas não são determinantes. Assim, a Bíblia rejeita a idéia de que o comportamento homossexual seja conseqüência de problemas de relacionamento com os pais, abuso sexual e coisas do gênero. Estas podem até influenciar a forma como o coração pecador irá reagir, mas de forma alguma serão decisivas.

Outro pensamento errado no coração do homossexual, que pode estimular desejos pecaminosos é acreditar que, de algum modo, é possível para o ser humano encontrar uma satisfação maior fora do plano de Deus. O homossexual deseja pessoas do mesmo sexo porque julga encontrar neste tipo de relacionamento um prazer maior do que encontrará seguindo a padrão divino. Isso é mentira! O padrão de Deus sempre é o melhor!

6. Existe esperança para o homossexual.

  • 1 Coríntios 6.9-11: 9-Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idolatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou activos, 10-nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus. 11-Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus.

Paulo afirma que alguns dos cristãos de Corinto foram homossexuais, mas pelo poder de Deus haviam sido transformados. Em outras palavras, é possível obter vitória sobre o homossexualismo! Mesmo que muitos afirmem não ser possível mudar a “inclinação sexual”, Deus diz o contrário! Não sei quanto a você, mas eu prefiro acreditar em Deus!

Não podemos nos deixar levar pelos enganos do mundo sobre o homossexualismo. Não importa o que digam os políticos, os médicos e especialistas e mesmo a novela das oito, a Palavra de Deus precisa ser sempre o nosso referencial.

Este texto é apenas um resumo. Para mais informações procure naÁrea de Recursos.

Conselheiro Bíblico ®

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Jovem viciado na homossexualidade mata mãe e irmão e fere o pai por estes não concordarem com os seus gostos sexuais

MANAUS - O músico Alcinei Ferreira Gomes, de 19 anos, foi preso acusado de matar a mãe, Maria Lita Gomes da Silveira, de 41 anos, e o irmão, Alen Luiz Gomes da Silva, 13, na residência da família, na noite desta terça-feira, na Zona Leste de Manaus. Ele também tentou matar o pai, Sildonor Ferreira da Silva, de 38 anos, com duas facadas. Segundo a polícia, ele confessou e disse que os assassinatos aconteceram após uma discussão em família. Segundo Gomes, os pais e o irmão não aceitariam o fato dele ser homossexual.

De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Mariolino Brito, o acusado pode ter premeditado o crime. O músico se apresentou espontaneamente à delegacia ainda na noite desta terça-feira. O pai dele foi internado no hospital, e não corre o risco de morrer.

Alcinei, segundo a polícia, esfaqueou primeiro a mãe e em seguida o irmão mais novo. Após praticar os homicídios, esperou o pai chegar do trabalho, na frente da casa, e o atingiu na cabeça com um pé de cabra. Sildonor ainda recebeu golpes de faca nas costas, antes de conseguir desarmar o filho.

O pai ainda tentou entrar na casa para tentar socorrer as vítimas. O corpo de Maria Lita foi encontrada em um dos cômodos da residência e do irmão mais novo, embaixo da cama de um dos quartos.

Em depoimento na manhã desta quarta-feira à polícia, Sildonor disse que o filho já havia sido submetido a tratamento no Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, em Manaus.

Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) na noite desta terça-feira e velados nesta manhã, na residência da família. No local, familiares e amigos estavam assustados com a atitude do músico. Vizinhos afirmaram que ele era um bom filho e nunca levantou suspeitas. O irmão de Sildonor, Nonato Gomes, afirmou não entender o motivo que teria levado o sobrinho a matar a mãe, o irmão e atentar contra a vida do próprio pai.

O delegado Mariolino Brito já entrou com pedido de prisão preventiva contra Alcinei Ferreira Gomes.

- Ele representa perigo para a sociedade - afirmou.

A polícia aguarda pela sentença de um juiz plantonista para encaminhar o preso para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, ainda nesta quarta-feira. (*)

(*) Flagrante episódio de heterofobia e um exemplo de como o homossexualismo tem influências demoníacas, pois somente por este ângulo podemos compreender um ser humano tentar liquidar a própria família.

Mas não é somente a influência demoníaca, pois as esquerdas e a mídia agem irresponsavelmente no sentido de deseducar os jovens, esta última fazendo apologia do comportamento homossexual, glamourizando-o nos reality shows, novelas etc., a fim de que um comportamento bizarro e antinatural seja compulsoriamente aceito no interior das famílias.

Uma hora a bomba acaba explodindo e, infelizmente, acaba explodindo no interior das famílias. Logicamente, a notícia em questão é minimizada, já que os homossexuais se transformaram em classe oprimida, sempre encarados como vítimas, não ganhando qualquer projeção entre as manchetes.

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...