quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

França: criticar o homossexualismo pode ser perigoso

O partido de Nicolas Sarkozy afirmou que um dos seus legisladores vai ser expulso das suas fileiras por ter dito que os homossexuais possuem demasiado poder na França, e por ter minimizado a perseguição que os mesmos sofreram durante a 2ª Guerra Mundial.

Os comentários de Christian Vanneste geraram uma avalanche de críticas provenientes de ambos os lados da esfera política (esquerda e direita).

Vanneste corre o risco de perder o seu lugar no partido UMP e o seu assento parlamentar devido aos comentários que muitos qualificam de "ofensivos" e "incendiários".

Num vídeo colocado num site francês, Vaneeste disse que os gays estão "no centro do poder" na França, manipulando os órgãos de informação e fazendo com que a humanidade perca a sua dignidade.

Fonte

. . . . . . . . . . . .

Para se ter uma visão parcial mas reveladora do sub-mundo do homossexualismo - aquilo que os órgãos de informação não mostram - leiam este texto.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Criança de 14 anos recebe ameaças de morte por defender o casamento natural

Os esquerdistas são sem dúvida pessoas muito tolerantes . . . . enquanto tu concordas com eles. Se tu passas a pensar de forma que não se alinhe com o esquerdismo, eles passam a desejar a tua morte.

Ben Johnson reporta para a LifeSiteNews que uma menina de 14 anos testemunhou perante o senado estadual de Maryland contra a redefinição do casamento de modo a incorporar a homossexualismo. Devido a isto, a menina foi vítima da tradicional e mundialmente famosa "tolerância" dos activistas homossexuais: recebeu cyberebullying, insultos e ameaças de morte.

Testemunhando perante o "Maryland Senate Judicial Proceedings Committee" no mês passado, Sarah Crank, de 14 anos, disse:

Sinto-me mal pelas crianças que têm dois pais do mesmo género. Embora algumas crianças pensem que é perfeitamente normal, eles não sabem as maravilhosas experiências que estão a perder.

As pessoas dizem que elas nasceram assim [homossexuais], mas eu já conheci adultos simpáticos que conseguiram mudar [a sua orientação sexual].

Hoje é o dia do meu 14º aniversário e chumbo desta lei seria um excelente presente.

Depois do áudio deste testemunho anormalmente maduro ter chegado ao Youtube, a história tornou-se popular nos sites homossexuais - e as ameaças de morte chegaram rapidamente.

A "TFP Student Action", uma organização Católica dedicada a preservar a moralidade tradicional, gravou as ameaças mais ofensivas num comunicado de Imprensa.

Um comentador do vídeo do Youtube disse:

Se eu algum dia tiver esta miúda à minha frente, eu mato-a. Isto é uma promessa.
Outros comentários igualmente tolerantes variavam de “Os seus pais deveriam ser exterminados” a “Matem esta criança e os seus pais.”

Um outro comentário assustador proveniente do site LGBTNation.com dizia

E agora todos sabem o seu nome, e como tal, ela saberá o que é ser vítima de assédio e bullying.
Desde que a TFP emitiu o comunicado de imprensa que os comentários não têm sido moderados. Apoiantes do "casamento" homossexual continua a mostrar o quão tolerantes e respeitadores são de opiniões contrárias desejando violência física e sexual, e censura a rapariga.

Eis aqui um belo exemplo da tolerância dos activistas homossexuais:

  • "Espero que sejas violada pelos teus pais" madisonen

  • "Cabra estúpida - Espero que morras no dia do teu aniversário geminiboi007

  • “Maneira estúpida duma cabrona estúpida de fazer coisas estúpidas. Pára de dizer as coisas absurdas que os teus pais Cristãos anti-homossexuais te estão a ensinar e aprende a aceitar as outras pessoas. Agora cala-te cabrona antes que eu te dê porrada.”—123adbnvcs

O texto integral do testemunho da Sarah:

“Hi, I’m Sarah Crank. Today’s my 14th birthday, and it would be the best birthday present ever if you would vote “no” on gay marriage. I really feel bad for the kids who have two parents of the same gender.

Even though some kids think it’s fine, they have no idea what kind of wonderful experiences they miss out on. I don’t want more kids to get confused about what’s right and okay. I really don’t want to grow up in a world where marriage isn’t such a special thing anymore.

It’s rather scary to think that when I grow up the legislature or the court can change the definition of any word they want. If they could change the definition of marriage then they could change the definition of any word.

People have the choice to be gay, but I don’t want to be affected by their choice. People say that they were born that way, but I’ve met really nice adults who did change. So please vote “no” on gay marriage. Thank you.”

* * * * * * * *

Este incidente demonstra de forma óbvia os verdadeiros propósitos políticos da agenda homossexual. O mesmo nunca teve absolutamente nada a ver com o bem estar dos homossexuais mas sim com a liberdade de expressão das pessoas que se alinham com valores Cristãos e conservadores.

As mesmas pessoas que pedem "tolerância" perante a agenda política homossexual são as mesmas pessoas que emitem ameaças de morte a crianças de 14 anos só porque elas defende que o casamento é entre um homem e uma mulher.

Outra coisa que convém não esquecer é que nem todos os membros da gaystapo são homossexuais. Como a agenda gay é um movimento político, a esmagadora maioria das pessoas que defendem a agenda homossexual não são elas mesmas homossexuais, mas sim pessoas que se alinham com os propósitos totalitários da esquerda política.

Por isso ninguém se deve sentir mal por resistir à indoutrinação homossexual como se a resistência a mesma fosse análogo a um ataque aos homossexuais. Não é.

É perfeitamente normal que ninguém queira que os seus filhos sejam alvo de indoutrinação política através das instituições estatais, e como tal, é perfeitamente normal que os pais não queiram ser silenciados no que toca a educação dos seus próprios filhos.

Quem deve ser monitorizado pela policia são as pessoas que se alinham com um movimento político baseado no ódio a liberdade de expressão dos Cristãos e dos conservadores.

Homossexual defende preservação do casamento natural


A celebridade homossexual Christopher Biggins afirma que está feliz com a união civil mas não quer redefinir o casamento uma vez que "nós não podemos ver-mo-nos livres de tudo".
Falando no programa diurno da ITV "Loose Women", ele disse: "Sou muito contra o casamento [homossexual] porque penso que isso é para os heterossexuais."
Biggins, que tomou parte numa união civil no ano de 2006, disse ainda:
Não podemos remover tudo; temos que nos agarrar a alguma coisa.
As suas palavras ecoam comentários seus feitos em 2005, quando as uniões civis forma introduzidas. Na altura ele disse:
Na minha opinião, o casamento deve sempre estar reservado para a união entre um homem e uma mulher primariamente com o propósito de gerar uma família.

Dar mais um passo e elevar as uniões civis para o estatuto de casamento seria gozar com a instituição [do casamento] que, apesar das suas falhas, há muitos séculos que tem sido positiva para a sociedade.
* * * * * *
É triste dizer isto, mas este homossexual tem uma visão do casamento mais sólida que muitos auto-denominados "Cristãos". É por demais óbvio que o casamento é uma instituição claramente feita para a união heterossexual. "Casamento homossexual" é uma contradição. Se é casamento, não é homossexual: se é homossexual, não é casamento.

Outra coisa que convém retirar das palavras do homossexual citado em cima é que, contrariamente à mensagem que os activistas homossexuais tentam passar ao público, a oposição ao "gaysamento" e à adopção homossexual não é baseada no "ódio" nem no "preconceito", mas sim na estrutura da realidade.
Como diz o Olavo de Carvalho num dos seus vídeos, o casamento é feito entre duas pessoas porque há dois sexos. A partir do momento que a variável "sexo" é removida, não faz sentido que o casamento seja só entre duas pessoas. Podemos ter um "casamento" entre 2, 3, 5 ou 257 pessoas.
Ressalve-se a clarividência do Christopher Biggins quando este afirma que a elevação da homossexualidade para o nível da heterossexualidade é apenas uma manobra para ridicularizar o casamento natural.
Exactamente!
Quem está a usar os homossexuais para avançar com a sua agenda sabe disso muito bem, e é precisamente pelos efeitos devastadores da agenda política homossexual que os arquitectos do mesmo o forçam às nações.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Parlamento Português chumba adopção homossexual

O projecto de lei do BE sobre a adopção homossexual foi rejeitado com os votos contra do PSD, do CDS e do PCP e de apenas nove deputados do PS.

Dos 63 socialistas presentes, a maioria (38) votou a favor da iniciativa bloquista, assim como nove do PSD e um do CDS-PP.

A abstenção foi o sentido de voto escolhido por 12 deputados do PS (entre os quais o líder parlamentar Carlos Zorrinho), um do CDS (João Rebelo) e dois do PSD.

Também o projecto do Partido Ecologista “Os Verdes”, que também propunha eliminar a possibilidade da adopção de casais do mesmo sexo, foi chumbado com idêntica votação. Apenas na bancada socialista se registou mais um voto a favor (39) face ao projecto bloquista e menos uma abstenção – 11 parlamentares.

A iniciativa de “Os Verdes” registou os votos contra do PSD e do CDS, do PCP, e de oito deputados socialistas. Na bancada laranja registou-se ainda nove votos favoráveis, e duas abstenções. Entre os democratas cristãos, Adolfo Mesquina Nunes também voltou a votar a favor, enquanto João Rebelo repetiu a abstenção anterior.

O debate sobre a adopção por casais do mesmo sexo durou cerca de 15 minutos e não suscitou intervenções inflamadas. Na verdade, foi uma discussão morna, antecipando o chumbo dos projectos de lei do BE e do PEV.

Fonte

* * * * * * * * *

Entretanto, uma bloquista demonstrou de forma clara como funciona a agenda gay:

Cecília Honório, do BE, lembrou que Portugal "é o único país do mundo em que os homossexuais podem casar, mas não adoptar."
Primeiro, o "casamento", depois a adopção. Onde é que isto irá parar?

Outra coisa que convém notar é que os homossexuais sempre se puderam casar. Houve alguma lei alguma em Portugal que proibisse um homossexual de se casar?

Se um homem homossexual e uma lésbica se apresentassem num cartório com intenções de se casarem um com o outro, eles receberiam aprovação. A sua orientação sexual seria irrelevante visto eles estarem a agir de acordo com a definição do que é um casamento (1 homem + 1 mulher).

Portanto, a legalização do "casamento" entre dois homossexuais não acrescentou direito algum aos mesmos: apenas elevou a homossexualidade (artificialmente, entenda-se porque a heterossexualidade nunca vai ser igual a homossexualidade) para um patamar mais ou menos análogo ao da heterossexualidade.

Os activistas homossexuais teimam em apagar a distinção entre descriminar comportamentos e descriminar pessoas.

Outra ignorante (Heloísa Apolónia, do PEV) insistiu que "a adopção de crianças não deve ter como critério a orientação sexual dos candidatos."

Exacto. Portanto, se uma pessoa tem a "orientação sexual" de copular com animais, isso não deve ser levado em conta na altura de deixar uma criança ao seu cuidado.

A classe política portuguesa é um autêntico lixo moral.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

José Mourinho acusado de "homofobia"

José Mourinho foi acusado de homofobia pela copresidente da Federação de Desporto de Gays e Lésbicas, Louise Englefield, que apelou à UEFA.

O treinador do Real Madrid terá usado o termo «mariconços» na Rússia, antes do confronto com o CSKA Moscovo.

Mourinho pronunciou a palavra quando questionou sobre que tipo de bola se ia jogar o CSKA-Real Madrid: «E esses mariconços, não nos dizem com que bolas se joga?»

A dirigente daquele grupo considera que a utilização do termo merece ser sancionada. «A homofobia é inaceitável por parte de qualquer pessoa no futebol, muito menos vindo de uma das principais figuras da modalidade», disse Louise Englefield.

«Estamos muito desiludidos com o facto de o senhor Mourinho andar a usar termos abusivamente homofóbicos no seu local de trabalho», prosseguiu, em declarações ao «Mirror», para acrescentar: «Apelamos à UEFA para tomar medidas e impor as sanções apropriadas.»

Fonte

* * * * * * * * * * *

Quem já jogou futebol sabe que termos que apelem à virilidade e à masculinidade são a norma. Os activistas homossexuais aparentemente não sabem disso.

Duvido muito que o José Mourinho quisesse matar ou levar outro tipo de violência contra os homossexuais . Supostamente isso é que é "homofobia".

Claro que hoje em dia o termo "homofobia" hoje em dia significa "não concordar como o homossexualismo". Portanto, se tu não achas normal que um homem insira o seu apêndice genital no ânus de outro homem - mesmo que não estejas motivado a levar qualquer tipo de acto violento contra eles - então tu tens algum tipo de problema psicológico e/ou um medo "irracional de homossexuais".

Preparem-se porque à medida os activistas homossexuais vão ficando gradualmente mais poderosos (graças ao apoio estatal e mediático que recebem), a nossa liberdade de expressão vai diminuindo.

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...